Salta na Argentina

////

Salta na Argentina. Situada bem no topo da Argentina, no Vale de Lerma, a noroeste do país, Salta é uma cidade próspera e muito agradável, que faz juz à sua fama. Com belíssimas paisagens, cheias de cores e, ao mesmo tempo, enigmáticas, é realmente uma das regiões mais belas do país e, entre todas, é a cidade que mais conseguiu conservar as características originais de suas construções, o que se tornou um de seus principais atrativos turísticos.

Mas, além disso, há outros bons motivos para atrair os turistas a Salta, como suas admiráveis adegas de vinho e estâncias rurais. Neste mesmo ambiente, surgem muitas outras coisas para se fazer, principalmente para quem gosta de esportes, como trakking, pesca, canoagem, mountain bike, passeios a cavalo e outras modalidades de ecoturismo, ou turismo de aventura.

Entre os pontos turísticos de Salta, destacamos o Cabildo colonial, que fica em frente à Praça 9 de Julio, e data do século XVIII, consagrando-se como a construção colonial mais antiga da cidade.

Ali também estão localizados dois importantes museus: o Museu Histórico do Norte, que conta a história da cidade por meio da exposição de obras de arte; e o Museu Colonial das Belas Artes, que conta com um acervo de belas pinturas e esculturas modernas. Assim, uma única visita transforma-se em um passeio a três belos lugares diferentes.

Prosseguindo pelos espaços culturais e históricos de Salta, recomenda-se uma visita às exuberantes construções seculares, como a Catedral, a Igreja de São Francisco e o Convento de São Bernardo.

O mesmo é válido para o Centro Cultural América e para o Museu de Arte Contemporânea. Os dois estão situados na Praça 9 de Julio e possuem uma ótima programação de atividades culturais durante todo o ano. Vale a pena conferir para apreciar.

Já no Museu de Arqueologia da Alta Montanha, a reação dos visitantes será um mix de admiração, espanto e fascínio, pois terão a oportunidade de ver as múmias de três crianças incas.

Ainda nesta região, os visitantes poderão acessar o cerro San Bernardo, de onde terão uma vista privilegiada de Salta e de todo o Vale de Lerma. A poucos quilômetros dali, em um povoado chamado Vaqueros, poderão encontrar diversos artigos em couro, tecido e cerâmica.

Mas uma das atividades mais procuradas pelos turistas que vão à cidade é o passeio no famoso Trem das Nuvens. O percurso começa em Salta, passa pela região de La Puna e prossegue por diversas outras localidades, com características contrastantes e um tanto quanto pitorescas.

Este é o caso da encosta dos Andes e das 29 pontes por onde ele passa, sem contar com os 21 túneis, 13 viadutos e vários ziguezagues. No total, são 217 quilômetros de trilhos, sendo o seu ponto final o viaduto La Polvorilla, localizado a mais de 4 mil metros acima do nível do mar.

Não há dúvidas. É uma experiência fascinante e inesquecível, que pode ficar ainda mais completa com uma visita ao Museu do Trem. Ali os visitantes conhecerão a história do Trem das Nuvens, que, dizem, inicialmente foi projetado para interligar a Argentina ao Chile, que faz fronteira com a extremidade oeste de Salta.

E o Trem das Nuvens ainda oferece outras atrações para quem visita seu ponto inicial. Isso porque as ruas ao seu redor estão cheias de bares, restaurantes e casas noturnas. Trata-se de um bairro tipicamente boêmio.

Outros circuitos tradicionalmente procurados para os turistas que viajam para Salta são os Circuitos sul, norte e dos Vales. No passeio que segue para o sul, as cidades mais destacadas são Güemes, Metán e Rosario de la Frontera, que oferecem fantásticas excursões de ecoturismo a Las Lajitas, jornadas de pesca em El Tunal e no Rio do Vale. Por ali, também, nas estâncias, os visitantes poderão se divertir em passeios a cavalo.

Pelo Circuito Norte, quem passeia atravessa a Selva de Yungas e passa pelas cidades de Pichanal, Embarcación, Tartagal, Aguaray, Salvador Mazza, Orán e Los Toldo, por onde se destacam estâncias coloniais e povoados, como de Campo Santo, El Bordo e Cobos.

Para variar um pouco o roteiro turístico em Salta, vale a pena incluir o Parque Nacional El Rey na programação da estadia por lá. Trata-se de uma região ao sul da Cidade de Salta, mais especificamente chamada Rosario de la Frontera, conhecida pela sua diversidade biológica. Além disso, suas águas termais são umas das mais quentes do mundo.

E para completar a viagem para Salta, não se pode deixar de fazer um passeio para Jujuy, uma cidadezinha bem curiosa localizada ao norte de Salta. Ali os visitantes também terão muitas opções de coisas para fazer, como conhecer o Teatro Mitre, o Museu Arqueológico Provincial, o mercado de artesanatos, seus diversos parques e praças, por onde sempre há mais possibilidades de aprofundar o conhecimento sobre a cultura e costumes da região.

Mas uma das regiões mais visitadas em Jujuy é a Quebrada de Humahuaca, onde estão concentradas belas colinas multicoloridas, povoados indígenas e grutas pré-históricas. São cerca de 170 quilômetros de vales e montanhas, situados a uma altura entre 2 e 4 mil metros acima do nível do mar, e que também fizeram parte do caminho dos incas no século XV.

A cidade oferece ótimas opções de hospedagem, algumas até de quarto estrelas. As ruas são de paralelepípedo e bem estreitas, típico cenário de cidades históricas, com grande valor cultural agregado. Inclusive, em 2003 a Unesco também declarou a Quebrada de Humahuaca como patrimônio mundial da humanidade. De Jujuy também fica fácil conhecer outras regiões muito interessantes e belíssimas, como Salina Grande, Susques

Deste ponto em diante, então, os visitantes se encontrarão no extremo norte da Argentina, mas há muitos outros territórios para se desbravar indo ao sul do país. Vale a pena se informar e incluir outras regiões do país no tour pela Argentina.

Vamos lá?

Capital da Argentina:
Buenos Aires

Aeroporto da Argentina:
Aeroporto Ezeiza Ministro Pistarini (EZE)

Moeda da Argentina:
Peso Argentino (1 US$ equivale a 3,63 pesos argentinos)

Idioma da Argentina:
Espanhol é o idioma oficial, mas o inglês também é usado no comércio e o português facilmente compreendido.

Visto para Argentina:
Não é necessário para brasileiros

Vacinas para visitar a Argentina:
Não é necessário

Código de telefone da Argentina:
+54

Voltagem na Argentina:
220V

Fuso Horário na Argentina:
Igual ao horário de Brasília. Não há o horário de verão.

Melhor época para visitar a Argentina:
Agradável o ano inteiro. Recomenda-se inverno para  Mendoza e verão na Patagônia. As estações de esqui estão abertas de junho a outubro.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Previous Story

Catedral de São Vito no Castelo de Praga

Next Story

José Ignacio no Uruguai

Latest from a reformar

Corra até Cansar…

Corra até Cansar… Nasci sem poder me exercitar, e tudo devido ao meu problema de coração.

Rock in Rio 2019

Texto sendo atualizado Related posts: Show Laguna Coil – São Paulo – 2018 Show Rammstein –