Aventura na Selva Amazônica a procura da Samaúma Gigante

Home/Destinos/América do Sul/Brasil/Norte/Pará/Floresta Nacional dos Tapajos/Aventura na Selva Amazônica a procura da Samaúma Gigante

Aventura na Selva Amazônica a procura da Samaúma Gigante

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Amazonia-Para-Flona-Floresta-Nacional-do-Tapajos-09.jpeg

Na Floresta Nacional dos Tapajos fizemos uma trilha. Eu amo isto! E nosso objetivo era chegar até a Samaúba Gigante. Meu amigo. É uma arvore gigante!!!!!! Para dezenas de tribos indígenas a samaúma é sagrada, cultuada como a mãe da Humanidade. Trata-se da mais alta árvore da Amazônia, chegando a 65 metros. Resolvemos nos embrenhar na selva com a Naiade Viagens e veja só .. foi demais.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Amazonia-Para-Flona-Floresta-Nacional-do-Tapajos-06.jpeg

Sua copa grandiosa abriga um pequeno ecossistema. Mas nada disso importa para os madeireiros. Sua derrubada é indiscriminada e a madeira, considerada de baixa qualidade, é usada em compensados. A espécie tem sido tão explorada que poderá não sobreviver. Você entendeu que sacanagem?

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Amazonia-Para-Flona-Floresta-Nacional-do-Tapajos-09-1.jpeg

A samaúma é uma gigante delicada. Sua reprodução depende de caprichos. Um deles é o tempo: o florescimento acontece em períodos irregulares – pode demorar até sete anos. Durante este processo, a árvore produz uma grande quantidade de flores brancas, que duram apenas uma noite.

A partir daí, a reprodução depende de morcegos. Em bando, eles deslocam-se entre as samaúmas para colher o néctar. Os animais sujam o pêlo com o pólen, que, assim, acompanha-os de uma árvore à próxima, fecundando as flores. É por meio desse transporte que as árvores cruzam umas com as outras.

Mas o aumento da distância entre as samaúmas tem feito o morcego desistir das viagens. As árvores ficam isoladas reprodutivamente, diminuindo a produção de frutas e sementes.

Separada das demais, a árvore fecunda a si própria para garantir novas sementes. Desse modo, porém, não há troca de material genético entre as samaúmas. Quanto menor for esta variedade, mais difícil será a adaptação da espécie às mudanças climáticas.

Para Saber Mais…

Saiba mais sobre nossa a Floresta nacional dos Tapajós

Comments

comments

Did you like this? Share it:

Sobre o Autor:

Leave A Comment