Granada

Granada – Gabrielle de Curitiba em 2018 

O nascimento da cidade de Granada está envolto em lendas incríveis. Para se ter uma ideia, algumas teorias românticas dizem que a cidade surgiu graças a Hercules ou filhas de Noé.

O início dos assentamentos na área de Granada não pode ser datado exatamente. Os restos encontrados mais antigos datam de meados do século VII a.C. Perto da atual área de Granada também foram encontrados outros assentamentos, perto de Monachil ou em Pinos Puente. Entre os séculos 4 e 3 a.C. a área começou a ser chamada Iliberri e estava sob controle cartaginense.

Duarte de Ponta Grossa em Granada – 2016

Depois da derrota cartaginesa a cidade foi conquistada pelos romanos e passou a ser conhecida como o “Municipium Florentinum Iliberitanum”. Apesar de não encontrar muitas indicações que o apoiam esta teoria,  para alguns autores, a cidade passou a ter uma grande importância.No entanto, no início do século VIII a área estava despovoada.

Pelo menos até o século XI, onde atualmente Granada está despovoada, deixando apenas os restos da antiga fortaleza ibérica que poderia ser usada. A área principal mais próxima durante este período foi “Madinat Libira” na área de Elvira, perto de Granada.

Após a divisão muçulmana na Espanha e no início do Zirí Taifa reinos dinastia fundada uma nova cidade chamada Madinat Garnata em 1013.

O reino de Granda nasceu durante a dinastia Nasrida, e nesta epoca as riquezas da cidade aumentaram. A cidade palatina de Alhambra foi construída e organizada em seis bairros com muralhas.

Em 25 de novembro de 1491, a cidade capitulou em Santa Fé diante dos monarcas católicos e a rendição ocorreu em 2 de janeiro de 1492, tornando-se cristã e, portanto, iniciando essa nova etapa.