Show Black Sabbath – Rio de Janeiro – 2013

Home/Brasil, Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, Show de Rock/Show Black Sabbath – Rio de Janeiro – 2013

Show Black Sabbath – Rio de Janeiro – 2013

Eu no show do Black Sabbath no Rio de Janeiro – 13.10.2013

Eu já fui em muitos shows de rock. Vivo fazendo comparações qual foi o melhor. Enfim no dia 13.10.2013 vivi uma experiência diferenciada, mesmo sem surpresas, visto que hoje em dia temos como saber com antecedência os set lists do shows.

Foto do Portal G1 – Não ganhei um lugar tão privilegiado para tirar foto

O Black Sabbath pareceu nos meus ouvidos um atirei o pau no gato ( que tanto abomino pela apologia de maus tratos à animais ) mas que serve de exemplo de algo comum aos nossos ouvidos desde criança.

Outra foto do Portal G1 – do mesmo lugar privilegiado para se tirar uma foto

Foi emocionante e fazia tempo que não brigava para chegar até a grade. Por lá fiquei até a metade do show. Talvez meu amadurecimento me fez lembrar, que mais atrás tinha banheiro, cerveja e pipoca… isto um carrinho de pipoca vendendo as mesmas doces e salgadas. Prova? Veja na foto abaixo!

eu no show do Black Sabbath no Rio de Janeiro – 13.10.2013

Imagem tema da Turne

Matéria do Portal Terra sobre o Show no Rio de Janeiro

Black Sabbath faz show memorável e encanta público no Rio de Janeiro

Com clássicos que já são hinos do rock e alguns de seu novo disco 13, a banda britânica de heavy metal Black Sabbath deslumbrou na noite do domingo o público do Rio de Janeiro, que dançou e cantou ao ritmo dos veteranos músicos de Birmingham, em show realizado no Sambódromo.

Com três dos quatro membros originais da banda reunidos pela primeira vez desde 1979, o Black Sabbath recuperou seu som mais obscuro, denso e pesado em uma turnê sem retorno para os primeiros anos da banda, a era em que os britânicos estabeleceram os fundamentos do heavy metal.

No Sambódromo, lotado para a ocasião apesar do alto preço dos ingressos, os fãs puderam desfrutar de um Ozzy Osbourne em notável forma musical que deliciou os amantes do heavy metal mais clássico e esbanjou energia sobre o palco apesar de seus 64 anos.

Ozzy esbanjou energia no palco: dançou, animou com seus gestos o público e até relembrou sua cena mais clássica ao aparecer com um morcego de plástico entre os dentes em um momento do espetáculo.

A seu lado, Tony Iommi, alma e principal compositor da banda, permitiu aos presentes viajar 40 anos no tempo com seus riffs obscuros e carregados de força que abriram o show com War Pigs, e que se estenderam ao longo da noite com canções como Black Sabbath e Dirty Women.

Com ritmos de compasso lento e a solidez apresentada pelo terceiro membro de fundação da banda, Geezer Butler no baixo, o show mostrou todos os elementos característicos do grupo em músicas de seu novo disco como End of the Beginning, Age of Reason e God is Dead?

O público – no qual se misturaram fãs mais velhos e alguns muito jovens, vários deles com óculos escuros ao estilo de Ozzy -, se entregou e perdoou as notas fora de tom do cantor britânico.

Além disso, aplaudiu as referências feitas no palco às primeiras críticas nascidas nos anos 60 contra o grupo e que lhes tachavam de satânicos. Imagens daqueles protestos nos Estados Unidos se alternaram com bençãos contínuas de Ozzy ao público que surpreenderam alguns dos mais veteranos.

Tommy Clufetos, habitual percussionista de Ozzy e único membro do quarteto que não participou da fundação da banda em 1968, completou o elenco do Black Sabbath protagonizando um dos momentos mais memoráveis do show com um solo de bateria que permitiu a Ozzy, Iommy e Butler fazer um intervalo para descanso.

Apesar de cumprir amplamente o papel que lhe foi atribuído, não conseguiu fazer os fãs esquecerem a ausência do baterista original, Bill Ward, ausente por falta de acerto financeiro e que teria completado um reencontro lendário.

Os compassos de Children of the Grave acendeu o Sambódromo por volta a meia-noite como aperitivo para o toque final, quando, já no último bis, a banda britânica deleitou o público com “Paranoid”.

 Quando soaram sobre o palco os primeiros acordes da música, o público subiu os decibéis sabendo que se aproximava o final de uma noite que alguns lembrarão como a última vez que viram os criadores do heavy metal e outros como a qual tiveram a oportunidade de conhecer de primeira mão o ritmo que deu forma ao gênero.

Para Saber Mais…

Vamos Viajar?

Logo para Naiade - Naiade Preto e Branco para site
Convido você a conhecer a Naiade Viagens. Diferente de verdade, a empresa é admirada por seus clientes. Considerada no mercado como uma das primeiras Love Brands brasileiras, muitas das viagens da Naiade são personalizadas e os grupos mundo afora são especiais e únicos.

Salvar

Comments

comments

Did you like this? Share it:

Sobre o Autor:

Leave A Comment

Você é humano?